Informações gerais sobre o cálculo de ranking dos jogadores de bridge filiados

- Torneios de duplas
- Torneios de quadras
- Pontos de colocação
- Ranking anual
- Categoria
- Regras para subir e descer de categoria
- Ranking categoria
- Ranking atuação
- Ranking paulista permanente
- Mínimo histórico

Como são calculados os Pontos de Ranking?

Quando você joga um torneio de duplas ou de quadras e consegue um resultado acima da média, você ganha pontos de ranking, que são acumulados durante o ano. Falaremos da acumulação dos pontos mais tarde. Agora vamos ver como são calculados os pontos de ranking.

Torneios de Duplas

A fórmula para o cálculo é:

PR = [ ( % - 50 ) x FT ] + [ NM x FT x ( 1 / 2 (COL - 1 ) ) ]

Onde:
PR = pontos de ranking obtidos;
% = porcentagem que você fez no torneio
FT = força do torneio
NM = número de mesas
COL = colocação que você obteve no torneio

Note que a fórmula tem duas parcelas. A primeira refere-se à sua porcentagem no torneio, e quanto maior a sua porcentagem maior será esta parcela e mais pontos de ranking você receberá. A 2a parcela refere-se à sua colocação no torneio, e quanto melhor for a sua colocação, maior será esta parcela e mais pontos de ranking você receberá. Exemplificando se duas duplas fizeram 60%, mas uma ficou em 1o em NS e a outra ficou em 2o em EO, a dupla de NS (que ficou em 1o) receberá mais pontos que a de EO.

Note também que nas duas parcelas existe o fator FT (força do torneio). Este fator mede o quão difícil é um torneio, ou em outras palavras, qual é a qualidade (força) deste torneio. Quanto maior a FT, maior é a presença de bons jogadores neste torneio, mais difícil é ganhar este torneio e, por conseguinte mais pontos de ranking você ganha. Por enquanto o valor de FT é arbitrado para cada torneio, mas futuramente ele será calculado para cada torneio (quando os programas de apuração do torneio e dos pontos de ranking foram unificados), A seguir os valores arbitrados para os torneios de duplas:

Torneios

FT

2a feira à Noite - APB

1

3a feira à Tarde - APB

1

3a feira à Noite - SHT

1

5a feira à Tarde - CAML

1

6a feira à Tarde - APB

1

Sábado à Tarde - APB

1

Sábado à Tarde - CAML

1

Domingo à Tarde - CAML

1

Campeonato de Duplas de Campos de Jordão

2

Campeonato Paulista de Duplas Fixas - Torneios Classificatórios

3

Campeonato Paulista de Duplas Fixas - Torneios Finais

4

Campeonato Paulista de Duplas Mistas

3

Campeonato Paulista de Duplas IMP's

4

Torneio de Ascenso

3


E finalmente note que a 2a parcela tem o fator NM (número de mesas). Assim quanto maior o número de mesas, maior o número de pontos de ranking que você vai receber.

Vamos ver como a fórmula funciona com um exemplo: você jogou um torneio com 20 mesas, com FT = 1, ficou em 5o lugar em EO com 53.4%:

PR = [ ( 53.4 - 50 ) x 1 ] + [ 20 x 1 x ( 1 / 2 (5-1)) ]
PR = [ 3.4 x 1 ] + [ 20 x 1 x (1 / 24) ]
PR = 3.4 + (20 x 1 x 1/8)
PR = 3.4 + 2.5
PR = 5.9

Torneios de Quadras

A fórmula para o cálculo é:

PR = { [ ( ( PV's / ROD) - 8 ) x FT ] + [ (NQ - FC) x FT ] } x NS

Onde:
PR = pontos de ranking obtidos;
PV's = número de PV's que você obteve no torneio, incluindo as penalidades
ROD = número de rodadas do Round-Robin
FT = força do torneio
NQ = número de quadras que estão disputando o torneio
FC = fator de colocação - é um fator aleatório indicativo da sua colocação
NS = número de sessões do torneio

Novamente, note que a fórmula tem duas partes. A primeira usa o número de PV's que você fez no Round-Robin (fase classificatória), incluindo neste total as multas em PV's e os ajustes decorrentes de WO's. Você divide este total de PV's pelo número de rodadas do Round-Robin, ou seja, este valor será a média de PV's obtido por rodada. Desta média é tirado o valor arbitrário 8. Isto quer dizer que para ganhar pontos de ranking em um torneio de quadras você precisa fazer pelo menos uma média de 8 PV's por rodada (assim como para ganhar pontos de ranking em torneios de duplas você precisa fazer 50% ou mais). Esta primeira parcela é tanto maior quanto maior for a sua média de PV's no Round-Robin.

A segunda parcela (à semelhança do cálculo de torneio de duplas) usa a sua colocação para o cálculo. Aqui ele usa um FATOR (FC) que depende de sua colocação:

Colocação

FC

1o Lugar (é o ganhador do Round-Robin quando não houverem finais)

0

2o Lugar

3

3o Lugar

5

4o Lugar

7

etc

Anterior +2


Note que quanto melhor a sua colocação, menor é o FC e maior será o número de pontos de ranking que você vai receber.

Também note que em ambas as parcelas existem novamente o fator FT (força do torneio). ). Este fator mede o quão difícil é um torneio, ou em outras palavras, qual é a qualidade (força) deste torneio. Quanto maior a FT, maior é a presença de bons jogadores neste torneio, mais difícil é ganhar este torneio e, por conseguinte mais pontos de ranking você ganha. Por enquanto o valor de FT é arbitrado para cada torneio, mas futuramente ele será calculado para cada torneio (quando os programas de apuração do torneio e dos pontos de ranking foram unificados), A seguir os valores arbitrados para os torneios de quadras:

Torneios

FT

Torneio de Verão

2

Torneio de Inverno

1

Campeonato Paulista de Equipes Livres (CPEL)

5

Taça São Paulo (TSP)

5

Campeonato Paulista de Equipes Mistas (CPEM)

4

Campeonato Paulista de Equipes Principiantes (CPEP)

1

Taça Eros Amaral & Roberto Assumpção

1

Torneio Caipira

1


E finalmente note que a 2a parcela tem o fator NQ (número de quadras). Assim quanto maior o número de quadras, maior o número de pontos de ranking que você vai receber.

E no cálculo de torneio de quadras ainda tem o fator NS (número de sessões) que irá multiplicar a soma das duas parcelas anteriores. O número de sessões é igual ao número de vezes que sua quadra foi ao clube para um determinado torneio. Por exemplo, um torneio de 20 quadras, com 10 bolsas contra cada adversário, e duas rodadas por dia, tem um número de 19 rodadas, mas apenas 10 sessões (na última sessão você jogaria apenas 1 rodada de 10 bolsas). Agora um torneio de 20 quadras, com 1 rodada por dia (20 bolsas, por exemplo), teria 19 rodadas e 19 sessões. E finalmente, se o torneio de 20 quadras tivesse uma rodada por dia e 64 bolsas de semifinal e 96 bolsas de final, você teria 19 rodadas (as 19 do Round-robin), mas teria 24 sessões (as 19 do Round-robin, mas 2 das semi-finais e mais 3 das finais - considerando que nas finais você joga 32 bolsas por sessão).

A maioria dos torneios de quadra dão também pontos de colocação (PC).

Pontos de Colocação

Pontos de colocação (PC) são pontos que o jogador ganha dependendo de sua classificação nos torneios de duplas ou quadras mais importantes, seguindo a tabela anexa. Os pontos de colocação são acumulados constantemente, e entram no cálculo da categorização do jogador de bridge. Os PC podem ser nacionais (PCN), ou paulistas (PCP). Os campeonatos paulistas dão tanto PCP quanto PCN, mas os nacionais apenas PCN.

Ranking Anual

O ranking anual é a somatória dos pontos de ranking (PR) que o jogador acumula ao longo do ano, e entra no cálculo da categorização do jogador de bridge. O ranking anual é zerado a cada início de ano.

Categoria

Os jogadores de bridge estão divididos nas seguintes categorias, na ordem, de acordo com a avaliação de seus resultados em torneios ao longo dos anos: ST* (sem trunfos), ,,, , , e PRI (principiante).
* A categoria ST, a partir de 2008, está subdividida em 3: ST, ST-MESTRE e ST-GRANDE MESTRE.

Regras para subir e descer de categoria

1) Para um jogador tornar-se da categoria ST, ele necessita acumular 70 ou mais pontos de colocação, ou ter 50 ou mais pontos de colocação e um campeonato sul-americano e/ou panamericano e/ou mundial.
A categoria ST tem 3 subdivisões:
1.1) ST GM - Sem Trunfos Grande Mestre - é o jogador que tem 350 ou mais PCNs acumulados, ou aquele que ganhou 5 ou mais campeonatos sul-americanos.
1.2) ST M - Sem Trunfos Mestre - é o jogador que tem 120 ou mais PCNs acumulados, ou aquele que tenha ganho 1 ou mais campeonatos sul-americanos.
1.3) ST - Sem Trunfos
2) Para um jogador tornar-se da categoria , ele necessita acumular 20,000 ou mais pontos no Ranking Categoria.
3) Para um jogador tornar-se da categoria , ele necessita acumular 5,000 ou mais pontos no Ranking Categoria.
4) Para um jogador tornar-se da categoria , ele necessita acumular 3,000 ou mais pontos no Ranking Categoria.
5) Para um jogador tornar-se da categoria , ele necessita acumular 1,500 ou mais pontos no Ranking Categoria.
6) Para um jogador tornar-se da categoria , ele necessita acumular 500 ou mais pontos no Ranking Categoria.
7) Cada jogador poderá ficar na categoria PRINCIPIANTES apenas durante seu ano de ingresso na F.P.Bri. No próximo ano este jogador será promovido à categoria , mesmo que não tenha jogado durante seu ano de ingresso e/ou não tenha ganho pontos no Ranking Atuação.
8) A Federação Paulista De Bridge pode a seu critério categorizar um jogador acima de sua faixa no ranking (em casos onde o jogador tenha reconhecidamente nível muito superior ao que seria de sua categoria, e.g., jogadores de outros estados e/ou países que ainda não tenham pontos à altura de seu nível de jogo no Ranking Categoria da F.P.Bri. Neste caso sua categoria estará com fundo amarelo forte.
9) Toda jogadora que tenha participado de campeonato sul-americano feminino não poderá ser categorizada abaixo de no ranking da F.P.Bri. Neste caso sua categoria estará com fundo amarelo forte.
10) Toda jogadora que tenha sido, pelo menos duas vezes, campeã sul-americana feminina não poderá ser categorizada abaixo de no ranking da F.P.Bri. Neste caso sua categoria estará com fundo amarelo forte.
11) Jogadores ST não poderão cair de categoria.

Ranking Categoria

É determinado pelo resultado da soma dos Pontos de colocação com os Pontos do Ranking Atuação (ratua), seguindo a fórmula:

rcat = (PCN x 1000) + ratua

 

Ranking Atuação

É determinado pelo resultado da soma de 80% dos pontos que um jogador tem no encerramento de cada ano ano neste Ranking mais os Pontos obtidos neste mesmo ano, no Ranking Anual, que excederem em 40% dos pontos iníciais no Ranking Atuação. Segue a fórmula:

ratuahoje = ((0,8 x ratuaontem) + x)
x = ranual - (ratuaontem x 0,4)
ratuahoje = ranking atuação atual
ratuaontem = ranking atuação ano passado (no fechamento)
ranual = ranking anual


Exemplo: imagine que você tinha 6000 pontos no R Atuação; ao mudar de ano você perde 20% destes pontos, passa para 4800. Durante este novo ano você acumulou 5000 pontos no Ranking Anual. Como a sua meta era ter pelo menos 50% dos pontos do Ranking Atuação já desvalorizado (neste caso 50% de 4800 = 2400), você excedeu sua meta em 2600 pontos (5000-2400). Agora você soma o excedente (2600) com seu ranking atuação já desvalorizado (4800), e seu novo Ranking Atuação é 7400. A última etapa é comparar seu novo Ranking Atuação com seu mínimo histórico: se ele for menor que seu mínimo, o seu ranking atuação fica igual ao mínimo histórico.

Ranking Paulista Permanente

É determinado pelo resultado da soma dos Pontos de colocação Paulistas com os Pontos do Ranking Atuação, pela fórmula:

rpp = PCP + ratua

 

Mínimo Histórico

A fórmula para o mínimo histórico é:

mhist = (ratua*0.64)


mhist = mínimo histórico
ratua = ranking atuação

A função do mínimo histórico é não deixar o ranking do jogador cair abaixo de um determinado valor que ele já conquistou. Assim, sua categoria só pode cair dentro do que esse parâmetro deixar. Ou seja, se um jogador fica um tempo sem jogar, e volta, aquilo que ele já tinha conquistado é levado em conta.
O mínimo histórico nunca diminui, se o valor calculado for menor que o anterior, vigora o anterior.